sexta-feira, 17 de junho de 2011

Hoje já vai tarde.

Hoje, particularmente, ainda resiste a sensação de que, se eu fizer um bolo, eu solo, se eu tentar dançar, eu caio, se eu tentar escrever, eu travo, se eu tentar desenhar, eu deformo, se eu tentar pintar, eu borro, se eu tentar bordar, eu rasgo, se eu tentar construir, eu destruo, se eu tentar sorrir, eu choro, e quando dormir...pesadelos farão parte do meu mundo onírico até que um novo dia renove forças e esperanças. Que grande merda é ser...humana. E com pouco pejo...pois assim somos nós...precários mesmos...desconfio da alegria em tempo integral. Bem como acredito teimosamente que o mundo gira e a alegria sempre dá as caras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário