quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O vermelho que me fará seguir.


No Céu de minha boca
Iguaria de nozes fez festa
Maracujás moraram nela...
Brinquei com maçãs e canelas
Orei de joelhos grata por tantas geléias...

brinquei ao sabor de damascos,
me abandonei na transparência dos frascos
que guardaram o gosto dos dias felizes...
flutuei em texturas, cores, matizes

Cajus e suas castanhas
cobriram de gozo meu corpo
o sabor das tangerinas
apaziguavam o divino coito

Sorvi do sabor das frutas (pouco maduras, como eu)
 até o findar das noites...
o vento e seus açoites esvaziaram sonhos meus;
o Vermelho Cereja me diz, delicado:

ainda restou um pouco de ti e de mim
levanta: Vai ser feliz!!!
Obediente e sedenta de vida, respondo:
Vou sim! Quero Alegria ao quadrado!!!


...(agradeço aos frutos que adoçaram meu Caminhar, em especial, ao Vermelho Cereja, da mesma cor daquela camisa tão bonita, tão bonita... )



arquivo pessoal


2 comentários:

  1. Que lindo, delicado, e doce como você, minha amiga! Sim, porque acredito que as palavras podem passar a doçura de um poema simplesmente por serem palavras...nada mais....
    Vc sabe que te desejo uma vida doce e cheia de realizações amorosas e profissionais!!!!
    Gi

    ResponderExcluir