terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

E aí o "meu blog" ficou "de mal" com o "seu blog"...

arquivo pessoal, Mamma Rosa, Laranjeiras.


Tempos modernos. Antes as pessoas brigavam e simplesmente não deixavam rastros, se mudavam para outra Galáxia.  Hoje, nesse Universo de cristal líquido, é difícil desaparecer sem deixar vestígios. Até minha filha tem blog...todo mundo tá aí dividindo idéias ou buscando um tanto de atenção, por esse ou aquele motivo. Não sou diferente. É irresistível aquela "clicada" no link daquele ou daquela a quem se tanto amou... e o que não faltam são alfinetes voadores, reais ou imaginários, de "Lá" e de "Cá". Eu sou ré confessa...passei tempo me inspirando nesse velho Amor que partiu pra sempre, de onde surgiram textos pungentes e disfarçadas, mal disfarçadas tentativas de entendimento. E como em todo diálogo extenuado, quando a palavra dita não pode mais ser ouvida, ficam as palavras escritas...o que um dia falava de amor, hoje fala de tristeza, fim, morte e melancolia. De algodão à "kriptonita" . Fala de alguém que não sabe para onde ir nem onde se quer chegar...tá, eu não sei exatamente meu destino, mas sigo caminhando e uma hora vou reconhecê-lo. Meu foco é me manter Viva, com ou sem esse Velho Amor. Corrijo: Sem esse Velho Amor. Pode morrer o Amor, mas que permaneça a possibilidade do recomeço, que não se mate o Amor, coitado...Ele não tem nada a ver com isso. 

Pois a maior culpada, eu que detesto esse rótulo, sou eu..."péra", corrigindo: a maior responsável sou eu. Eu fui quem mais tentou provar que tudo poderia ser diferente, em caminhos novos, quando esperança e confiança já estavam destruídas. Minha teimosia é boa em muita coisa, mas quando mal dirigida, só serve para prolongar sofrimentos. Isso é uma metáfora: Algumas faturas são impagáveis e ponto final. Eu nunca coube na justa medida do sonho de ninguém, talvez por não ter descoberto a justa medida do meu próprio sonho. Quero olhar para dentro, cansei de olhar pra fora. Não quero só sonhar, Jung dizia que quem olha pra dentro, "acorda". E aí sim, posso derramar meu olhar pela Vida com menos devaneio... 

Alguém disse ainda que meu "Blog" dialoga com o "Dele" e vice-versa. É quase um movimento inconsciente da minha parte, talvez da "Dele" também. Sou uma romântica "power-brega-terminal", mas nisso, não sei se quero mudar. Só não quero continuar me ferindo em nome de sentir algo diferente de "Nada". Dei ao "Moço" o poder de me sentir "Viva", e o fato é que esse texto não está sendo psicografado. Estou "Vivinha da Silva Cristina Tonelli". Passei quase 37 anos da minha Vida sem o cara, posso conseguir mais 37...e de preferência, sem raiva, sem ódio, sem acusações sem fim...é só andar, andar e plantar algo diferente de milho de pipoca, para que a colheita não seja a mesma e me enfade o paladar e o gosto pela Existência. 

Eu sempre tive para Ele um olhar "derramado" de sonhos, aí eu sonhei além do que se deve sonhar...não quero mais assunto com a loucura. Nem com o "Blog dele"...com quem o "meu Blog" resolveu ficar de mal. Sei que corro o risco de clicar "lá" a cada atualização e dar aquelas piradas achando que tem algo sendo dito para mim. Ele sempre me dizia, com propriedade, que artistas são egocêntricos. Hora de pôr o desapego total em prática. É possível que ele nem lembre que eu existo, e eu aqui...pelo menos, numa honesta decisão de fechar o ciclo. Com Ele, eu não fico de mal, que vá em Paz. Pois o que quero mesmo, é um pouco de alegria nessa vida (não acredito em felicidade em tempo integral), para mim e para todos. 

Que venha a quarta-feira de cinzas junto com todas as realidades que ainda quero experimentar. Que meu Blog siga com mais literatura e menos lamúria. Esse é o propósito.


7 comentários:

  1. Palavras escritas>Os amores marcados por letras são os mais difíceis de esquecer. Letras marcam como ferro em brasa a volúpia ressentida e mascarada em saudade. Mais um brilhante texto. Parabéns! Frank Tavares

    ResponderExcluir
  2. Já li aqui textos sobre outras coisas, talvez sempre o amor sim mas, sobre outras pessoas, então vamos mudar, pq tudo será tão lindo quanto, quem sabe mais, quem sabe o gosto que terá...

    ResponderExcluir
  3. Quiça, quiça! :) Tanta coisa bonita nesse mundo-caos, afinal! ;)

    ResponderExcluir
  4. Claudia, seja como for, você está agora buscando seu caminho! Ande sem olhar para trás e seja sempre você mesma.
    Um beijão!

    ResponderExcluir