terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Tangerinas.

imagem colhida no google

Ela gostava de descascar tangerinas com as mãos (haveria outro modo?), e principalmente das micro gotículas ácidas que espirravam em seu rosto fazendo cosquinha e exalando aquele cheiro tão "infância" a cada investida contra a casca que separava a expectativa do prazer. Gostava de acordar no meio da noite e encontrar o fruto alaranjado na geladeira a convida-la à uma degustação fora de hora, daquelas que funcionam como adstringentes da alma quando o sono não vem. Gostava da lembrança daquela árvore lotada de frutos na casa de sua mãe, que tantas vezes saciou sua fome quando nada parecia querer permanecer em seu estômago e sua única necessidade era um sabor agradável brincando em seu palato. Um sabor cuja saudade era sanada com uma ida na feira, e mais nada...

2 comentários:

  1. Ahhhh, tangerinas....Além de deliciosas, PERFUMAM o ambiente ao nosso redor....Adoro!

    ResponderExcluir
  2. Tangerina aqui chamamos de mexerica, um sonho de árvore pra se ter no quintal!

    ResponderExcluir