quarta-feira, 7 de março de 2012

Poema de água.

imagem colhida no google

Reter o tempo como quem aprisiona a água
Tênue tentativa de manter a Vida
Que um dia há de nos abandonar

Abandonar-se em vida não acelera nada
E como a água derramada em carne Viva
Só faz arder ainda mais a dura caminhada.

Resta mirar a rota, caminhar, caminhar...
Escorreremos feito a água no abismo.
Só quando a Hora chegar.
Um diabinho sussurra: podemos adiantar isto.

(Faço-me de surda)

Nenhum comentário:

Postar um comentário