quarta-feira, 28 de março de 2012

Verso Livre.


imagem colhida no google


Verso Livre do metro
disforme e desconexo
cacos de cerâmica
vidro
espelho
mosaico
sem linha
sem rima
só devaneio
expressão catártica
sou só verborrágica
só conto nos dedos
dessas minhas mãos
e nelas não cabem
meus tantos desvãos
não sigo calada
Palavra escrita
faz leve a morada
da minha cabeça
vivida e inventada
meu verso é livre
por falta de prática
nunca fui amiga
da tal matemática.

Nouvelle Vague-Dancing with Myself

Nenhum comentário:

Postar um comentário