terça-feira, 17 de abril de 2012

Correntes e cortinas...

imagem colhida no google


Não as tenho.
Não tenho correntes.
Lancei-as ao Mar.
Nem rimas tenho.
Tenho uma Vida a tocar.
Tenho sim, Rosas Intactas.
Tenho meus cant(os)eiros a regar.
Tenho pés para caminhar.
Para além de "Vias Lácteas"
que acolheram meus sonhos vãos.
Para além dos circunscritos afetos
que jorram o fel de um vulcão.
Para além de velhos rancores,
tenho um coração aberto.
Para além de sonhos,
mantenho meus olhos despertos.
Não sou prisão nem escuridão.
Meus nós são de cetim,
(quando assim quero)
atam minhas cortinas
Me protegem da solidão    ...e de dedos em riste...
Minha cor é carmesim
Tenho ares de colinas...


(Transito, hoje, entre o vermelho e o azul)

Conheci verdades com dores de parto, e renasci mais forte. Novas telas (minhas) adornarão minhas paredes. Elas não me assustam mais.

minhas cortinas
Chega!
Não me condene pelo seu penar
Pesos e medidas não servem
Pra ninguém poder nos comparar
Porque
eu não pertenço ao mesmo lugar
Em que você se afunda tão raso
Não dá nem pra tentar te salvar

(Grande Paulinho Moska)

Nenhum comentário:

Postar um comentário