quarta-feira, 6 de junho de 2012

Desapego.

arquivo pessoal

Hei de desabar em tons róseos,
no justo cansaço dos que de tudo tentaram.
Hei de me permitir novos sonhos,
que me permitam olhos menos tristonhos.
Esses que quase de choro secaram.
Vou descobrir o segredo, chutar o medo.
A sina dos que em demasia amaram.
Entender que ainda é cedo...
Tudo está sempre começando.
Quero um despertar risonho,
Leve como o desapego,
que não é desAmor...
é só minha Alma em sossego.
Fé no devir que é agora,
que ontem já foi embora!

(Que bom que existo e sou de Verdade...)

Moska- O Tom do Amor
"Um segredo, fica atento, repara bem
Que o meu Amor é todo seu.
Antigo".
E novo.

Um comentário: