quinta-feira, 14 de junho de 2012

O ceifador.

"A Morte"
Hoje foi essa a Carta do Tarô que deu as caras para mim. Ok, simbolismos, entenda-se como quiser. Em outros tempos, ficaria com medo da Morte, mas enfim, entendo (simbolismos, afinal) como morte e fechamento de ciclos,não necessariamente a morte de alguém em seu sentido literal. Velhos modelos que não me cabem mais. Expiradas formas de Sentir. Buscas inúteis. Olhar dentro de mim e ver o que me cabe. O que é genuíno, o que é plausível, o que pode ser renovado, o que deve ser descartado, o que é capricho...o que me causa dor por pura teimosia. Que eu renasça mil vezes em uma só estada na Terra, eu que sinto que já ressurgi do Nada em uma unica existência....parte da minha teimosia me mantém Viva. Falo sem medo de parecer arrogante que muitos teriam desistido ao longo do caminho (esse que trilhei e que essencialmente, só interessa à mim). Palmas de mim para mim. Que teimo em Vida, que percebo nas situações limites como amo estar Viva. E agradeço a cada recomeço a oportunidade de andar por caminhos menos tortos e poder errar menos ou diferente...pudesse eu, me recolheria em uma concha por um bom tempo. Descobri que adoro dormir. Mas tão breve é a passagem por aqui...descobri que posso estar só comigo mesma, ainda que com mil pessoas em minha volta. Minha introspecção não depende de espaços e silêncios. A extroversão também não...é tudo comigo. Ou quase Tudo...Silêncio, ruído ou música...permanecer ou seguir...escolher minhas estradas...e o que levo comigo.

Por agora, escolho Vida, Poesia e Música:
The Betles- In my life


2 comentários:

  1. Eita, que delícia. Um brinde a sua sensibilidade.

    ResponderExcluir
  2. Arnaldo Vieira de Alencastre16 de junho de 2012 16:27

    À sua existência Cláudia, grato por vivenciá-la!
    Ah! O ceifador nosso de cada dia, de cada sentido, de cada ciclo. Eixo da balança, o nosso temido conselheiro ceifador, e querido.
    Forte abraço querida!

    ResponderExcluir