sábado, 19 de janeiro de 2013

Aquela maçã.

um belo achado


Não era exatamente aquele paraíso, mas em palavras outras, fui avisada: essa maçã nunca será sua. Ela não foi feita para seus dentes. Essa maçã será para outras bocas. Ao longo de anos, observei a maçã, com carinho e vontade de saber que gosto ela teria. Mesmo sabendo que nunca seria minha. "Que fora feita para outros dentes". Mas um dia ela simplesmente caiu em minhas mãos...brilhava e sorria para mim dizendo: "quero satisfazer, ainda que só por agora, os desejos de toda uma vida. Faça o que quiser de mim. Farei o que quiser por e com você. Eu prometo". Eu mordi a maçã, que cumprira sua promessa. A mais doce e suculenta maçã, aquela que não me pertencia. E pude sentir toda aquela vontade guardada por décadas, quiça existências...ouvi valsas belas em minha cabeça. Senti cheiro de mar em minhas narinas e ventos de asas em meu rosto. Senti gosto de beijo roubado e bom, bem no Céu da minha boca. Senti até Amor. Existe pecado na ternura? Sim, não era a minha maçã. E pouco me importei que me expulsassem do tal paraíso. Não fui feita para paraísos. Mas aquele paraíso...o paraíso daquela maçã "não minha"...aquele paraíso, levei para bem dentro de mim, onde ninguém pode mandar, senão eu mesma. E às vezes, nem mesmo eu...




Nenhum comentário:

Postar um comentário