sexta-feira, 29 de março de 2013

Em dois tempos:

arquivo pessoal
Amo-te. Entre ares marítimos e concretos.
Amo-te. Entre as Artes que nos costuram
Entre os abraços que nos despertam
Amo-te.
Entre afinidades, cheiro de tabaco e madeira
Por dentre sonhos que nos margeiam
Por dentre as impossibilidades do mundo louco
Para além da corrida do ouro...
Desde sempre.
Um centímetro a menos de juízo
e pularia de um trem em movimento (em teus braços).
Levaria junto a mim apenas o que tenho de mais caro.
Sim, todo Amor é raro.



arquivo pessoal

Transbordamentos...(desses que enfeitam des-caminhos)

...você teria coragem? 
penso nisso
às vezes
se eu pulasse do trem
você me pegaria?
eu pularia mesmo sem saber?
hoje ouvi uma música
você a cantaria pra mim?
ou a guardaria na caixa aveludada que te protege a vida?
eu te amaria (e te amarei)
seja qual for a resposta. Ou a ausência dela.
[eu e minhas viagens sem passaporte...]










Nenhum comentário:

Postar um comentário